Campo Grande/MS, Sábado, 30 de Maio de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Quinta-Feira, 02 de Abril de 2020, 18h:30
Tamanho do texto A - A+

Preso chefe de quadrilha que tinha como alvo Banco do Brasil

Acusado foi preso na segunda fase da operação em São Paulo

Elaine Silva
Capital News

Deurico/Capital News

 Túnel para roubo no Banco do Brasil estava embaixo do cofre

Ação foi descoberta no final de 2019

Márcio Dorneles Mandes Junior, apontado como chefe da quadrilha que tentou roubar o Núcleo de Valores e Custódia do Banco do Brasil em Campo Grande/MS no final do ano de 2019, foi preso na segunda fase da operação  Euphractu, no dia 13 de março, pelos policiais civis da Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assalto e Sequestro (Garras). Os mandados foram cumpridos quatro mandados de prisão e sete de busca e apreensão nos estados de MS, SP, SC e RS. Ele foi preso na cidade de Marília, em São Paulo.

 

Conforme a investigação e compartilhamento de informações com a polícia civil de outros Estados, constatou-se que o “Velho” como é conhecido entre os membros da Organização Criminosa, utilizava diversos nomes falsos para praticar crimes. Conforme a Polícia Civil, foram identificados  onze nomes que ele utilizou; Marcio Dorneles Mendes Junior; Ernande Pereira da Silva; Ermandes Pereira da Silva; Ernandes Pereira A Silva; Hernandes Pereira da Silva; Jose Abílio Xaster; José Abílio Xastre; Jose Ferreira da Silva; José Inácio de Sa Goncalves; Jose Wichester e Armando Cezário.

 

Conforme a Polícia Civil, “Velho” era considerado um dos bandidos mais procurados do Brasil pela prática de roubo a banco. Já que ele foi processado mais de oitenta vezes em estados do Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste, sendo que inclusive possuía mais de 30 anos de pena para cumprir, porém tais condenações já foram prescritas.

 

Entre os mandados de prisão ainda vigente é da comarca de Catalão/Goiás, autos n.49714-84.1998.8.09.0029 que foi devidamente cumprido esta semana. A polícia continua em busca dos outros membros da Organização Criminosa ainda estão sendo procurados, já que vários mandados de prisão foram expedidos após investigações que ocorreram nos últimos nove meses.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix