Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 19 de Dezembro de 2018 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Domingo, 11 de Novembro de 2018, 11h:53
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Veja dicas de alimentação para idosos

Por Pérola Cattini

Da coluna Bem-Estar
Artigo de responsabilidade do autor

Alimentação é parecida com a dieta de pessoas adultas, mas requer atenção em alguns aspectos

Istock Photos

ColunaBem-Estar

O envelhecimento é um processo natural da vida. Para proporcionar maior bem-estar e conforto nessa fase, são necessárias algumas atitudes do Estado para assegurar os direitos fundamentais desse grupo, além de atitudes individuais e das famílias. Entre essas atitudes está a alimentação saudável. Aliada à prática de exercícios, pode garantir um envelhecimento com saúde e qualidade de vida.


As necessidades nutricionais de uma pessoa idosa são maiores do que aquelas em fase adulta. Esse fenômeno acontece porque o corpo passa a ter mais dificuldade para produzir todos os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo. Nesse contexto, uma alternativa é utilizar suplementos alimentares para repor as proteínas, vitaminas, minerais e carboidratos nas quantidades adequadas. O mercado fornece uma série de alternativas, como o Isosource 1.5, produto hipercalórico e com grande quantidade de fibras para quem possui deficiência nutricional.


Antes de usar suplementos alimentares, no entanto, é fundamental recorrer a um nutricionista. Ele poderá analisar as condições de cada indivíduo, seu estilo de vida e deficiências de nutrientes. A partir disso, ele pode elaborar um programa alimentar personalizado e que inclua ou não o consumo de suplementos.

Fatores de risco
Uma alimentação desregrada rica em gorduras, sal e açúcares, e pobre em verduras, legumes e frutas pode causar muitos problemas de saúde, como obesidade, anemia, diabetes e hipertensão em qualquer pessoa. No caso de idosos, o risco é ainda maior. Outros fatores de risco são sedentarismo e o uso indiscriminado de remédios. Os principais problemas decorrentes da falta de exercícios são obesidade, diabetes, dores reumáticas e doenças cardíacas. No caso dos remédios, é necessário seguir a prescrição médica e não interromper o tratamento para não ter problemas de saúde.

Dicas para uma alimentação saudável para idosos
De acordo com cartilha de saúde produzida pela prefeitura de Belo Horizonte, a alimentação da pessoa idosa, de forma geral, segue as mesmas recomendações de uma pessoa adulta. A quantidade e qualidade de calorias, no entanto, precisa receber especial atenção, devido à diminuição do metabolismo e à diminuição da atividade física. A recomendação é fazer três refeições por dia, sempre comendo devagar e mastigando bem os alimentos. Isso aumenta a sensação de saciedade, facilita a digestão e beneficia o aproveitamento dos nutrientes.


Refrigerantes e sucos artificiais, biscoitos doces e recheados, sobremesas doces e outras guloseimas devem ser evitados. Se não for possível, reduza a quantidade de açúcar e gordura. Para tanto, prefira bolos, pães e biscoitos preparados em casa, sem cobertura ou recheio. Alimentos industrializados com grande quantidade de sódio também precisam ser reduzidos. A quantidade de sal recomendada por pessoa é de uma colher de chá rasa distribuída em todas as refeições.


Hambúrguer, presunto, charque, salsicha, linguiça, salame, mortadela, salgadinhos industrializados, conservas de vegetais, sopas, molhos, caldos de carne e temperos prontos são alguns desses produtos com grande quantidade de sódio e que, portanto, devem ser evitados. De acordo com a cartilha, o sabor dos alimentos pode ser acentuado com temperos como cheiro-verde, alho, cebola, pimentas e ervas frescas e secas, ou mesmo com suco de frutas, como limão, caso o objetivo seja dar mais vivacidade para a comida.

Alimentos recomendados
Há uma série de alimentos que podem ser aproveitados na refeição. Ela precisa ser equilibrada, mas nem por isso deixará de ser saborosa. O grupo dos cereais, como arroz, milho e trigo, e pães, massas, batata, mandioca, cará e inhame são importantes fontes de energia e devem ser consumidos diariamente.


Legumes, verduras e frutas também devem ser consumidos diariamente. Esse grupo de alimentos é rico em vitaminas, sais minerais e fibras, nutrientes importantes para evitar a prisão de ventre e para prevenir diversas doenças. Não é necessário consumi-los sempre na forma natural. Eles podem ser ingeridos em diferentes preparações, como saladas, refogados, sopas, caldos, tortas, sucos, vitaminas, bolos, entre outros.


Queijos, leite e iogurte são fontes de cálcio, nutriente responsável pelo fortalecimento de dentes e ossos. Portanto, são essenciais para manter a boa saúde de pessoas idosas, que podem ser acometidas por problemas de enfraquecimento de ossos e culminar na osteoporose. Os queijos brancos são os menos gordurosos e, por isso, os mais recomendados.


Os miúdos e as carnes devem ser consumidos com moderação, porque são ricos em colesterol. Antes de prepará-los, retire a gordura aparente das carnes e a pele das aves. Alguns alimentos de origem vegetal podem ser utilizados em substituição às carnes de uma a duas vezes por semana - soja, lentilha, grão-de-bico e ervilha são alguns exemplos. Os ovos podem ser utilizados com alternativa, também de uma a duas vezes por semana.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix