Campo Grande/MS, Domingo, 20 de Janeiro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
ENTREVISTA
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018, 11h:53
Tamanho do texto A - A+

Série de Entrevistas: Amaducci aposta em “projeto de vida e respeito às pessoas”

Candidato do PT é o primeiro entrevistado da Série de Entrevistas promovida pelo Jornal Capital News com os candidatos ao Governo do Estado

Leonardo Barbosa
Capital News

Reprodução

Série de Entrevistas: Amaducci aposta em “projeto de vida e respeito às pessoas”

Humberto Amaducci é candidato ao Governo do Estado pelo PT

O candidato ao Governo do Estado, Humberto Amaducci (PT) é o primeiro a participar da Série de Entrevistas com os postulantes ao executivo estadual, promovida pelo Jornal Capital News nesta semana. O petista falou sobre suas propostas e projetos para o Mato Grosso do Sul, caso seja eleito governador.

 

Amaducci respondeu à oito perguntas padrões (enviadas à todos os candidatos) sobre economia, saúde, educação, corrupção e governabilidade. Confira

 

- Por que você quer governar Mato Grosso do Sul? (Resposta em vídeo)

 

- Eu quero ser governador pela experiência que nós tivemos em governar o município de Mundo Novo por quatro mandatos. Nós governamos, com certeza, com a participação popular. No primeiro mandato com a Dorcelina Folador e nós governamos com três mandatos. Com a experiência que nós temos de ter governado o MS. Sem dúvida nenhuma, Zeca do PT foi o melhor governador que esse estado já teve. Pela experiência de ter governado este país com o companheiro Lula e com a companheira Dilma, que sem dúvida nenhuma, o nosso povo tem muita saudade. Nós temos bagagem e temos experiência para poder contribuir com o MS. Retomar o desenvolvimento, gerar empregos, investir em saúde, educação, cultura, esporte e lazer. Para o país voltar a ser feliz, para o nosso estado voltar a ser feliz. É cuidando das pessoas que nós queremos governar o estado de Mato Grosso do Sul.

 

- Como você enxerga a situação atual do Estado? O que precisa ser melhorado?

- Andando pelo estado de Mato Grosso do Sul e conversando com as pessoas, a sensação que a maioria das pessoas tem é de que o estado está parado. Ou seja, as propostas que o atual governo fez, não foram cumpridas e o estado passa por dificuldades. São vários os escândalos de corrupção envolvendo o atual governo e o ex-governador preso, é uma situação extremamente difícil. Por isso que nós queremos levar nossa experiência da participação popular (ao Governo). nós vamos democratizar o orçamento. Isso significa transparência, isso significa prestar contas, significa planejar as ações, planejar os projetos e as propostas e, respeitar o dinheiro do cidadão, ou seja, respeitar os impostos que eles pagam.

 

- Nos últimas gestões, servidores e chefes de departamentos ligados ao governo estiveram envolvidos em escândalos de corrupção. O que precisa ser feito para que essa prática seja abolida dentro do sistema público?

- É a transparência! Por isso que nós trabalhamos fortemente no orçamento participativo e na participação popular. No nosso governo, os nossos secretários e secretárias vão ter que ser conhecidos, vão ter que andar nos municípios e vão ter que visitar as cidades, para prestar contas daquilo que vem fazendo na sua gestão.

 

- Como aumentar o investimento em saúde e educação?

- Saúde será prioridade no meu governo, então terá mais recurso. Vou equipar hospitais e fazer concurso para contratar profissionais da saúde. Vou contratar especialistas de qualidade para todas as regiões do estado. Em Mundo Novo, contratei especialistas e as filas diminuíram. Em relação à educação, vou fazer parceria com municípios para aumentar vagas na educação, reformar escolas, instalar ar condicionado, internet e contratar professores através de concurso público.

 

- Mato Grosso do Sul é referência em produção Agropecuária. De que forma o governo pode ajudar mais os setores produtivo, industrial, empresarial e comercial?

- Na nossa avaliação é infraestrutura. É você oferecer condições de transporte para que possa fazer o escoamento da produção da melhor forma possível, com hidrovias, ferrovias, manter a estrutura rodoviária, com os asfaltos em excelentes condições para que eles (produtores) possam ser atendidos, e também, fazer isso para os pequenos produtores, fazendo com que eles também possam estar tirando a sua produção de sua propriedade, agregando valor e renda, gerando emprego e gerando riqueza para o estado de Mato Grosso do Sul.

 

- Caso um candidato da oposição vença o pleito para a Presidência da República, como seria a relação com o União?

- Eu não acredito que o Haddad não vá se eleger. Ele será o futuro presidente do nosso país! Até porque, a cada dia que passa aumenta a saudade do governo do PT, a saudade dos investimentos na infraestrutura, nas pessoas, nos homens, nas mulheres que mais precisam do governo. Então nós temos a certeza que Haddad vai ser o nosso futuro Presidente da República, e nós vamos governar o estado de Mato Grosso do Sul junto com ele, e vamos transformar o MS e o nosso país. Caso isso não aconteça, todo presidente tem que ter responsabilidade com o seu país e consequentemente com o nosso estado.

 

- Por que a escolha de seu candidato à vice? Descreva-o;

- Nós optamos pelo nome da companheira Luciene, de Três Lagoas, como a nossa vice governadora, pela militância, pela fibra, pela mulher guerreira que ela é. Nós tivemos um exemplo em Mundo Novo, que foi Dorcelina Folador, uma grande mulher. Eu vejo na companheira Luciene, uma mulher guerreira, que tem como conduzir, junto com a gente, o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, em todos os segmentos e em todas as dificuldades que nós enfrentarmos. Então, eu não tenho dúvida nenhuma de que ela tem toda a capacidade e tem todas as condições de estar junto com a gente fazendo esse enfrentamento.

 

- Qual é o seu diferencial em relação aos outros candidatos?

- A grande diferença nossa e dos outros candidatos é o projeto. O nosso é um projeto de vida. No nosso projeto nós queremos as nossas crianças, ao invés de estarem aprendendo a utilizar armamento, nós queremos as nossas crianças utilizando o livro, aprendendo a tocar um violão, a tocar uma música, ou participando de uma atividade esportiva, nós queremos respeitar as pessoas. O nosso projeto, é o projeto da partilha, é o projeto do respeito ao ser humano e do respeito às pessoas. O nosso projeto, é o projeto que cuida bem das pessoas, que cuida bem das crianças, das mulheres, dos homens que lutam e trabalham. Esse é o grande diferencial, é o projeto da vida em defesa da vida! Então nós temos a tranquilidade em dizer: venha com a gente para esse estado do Mato Grosso do Sul voltar a ser feliz e consequentemente, o nosso país também.

 

 

A Série de Entrevistas do Jornal Capital News com os candidatos ao Governo do Estado continua nesta terça-feira (25). O candidato entrevista desta terça será Marcelo Bluma (PV)

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix