Campo Grande/MS, Sexta-Feira, 06 de Dezembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Domingo, 04 de Agosto de 2019, 12h:47
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

“Imagens de celular não são fotografia”, diz Sebastião Salgado

Por Vinícius Mendes

Da coluna Cultura
Artigo de responsabilidade do autor

Fotógrafo brasileiro mais conhecido no exterior está finalizando um projeto sobre índios da Amazônia

Divulgação

ColunaMarcoEusébio

O fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado é uma lenda viva da imagem documental. Durante quatro décadas, ele retratou por meio de suas lentes as atrocidades do ser humano ao mesmo tempo em que procurava pelos lugares mais esplêndidos do planeta. Aos 75 anos, renomado no mundo todo -- acabou de ser tema de uma exposição no Musée de l'Homme, em Paris, na França --, ele está na reta final de um projeto sobre tribos indígenas da Amazônia.

Salgado saiu do Brasil durante a ditadura militar, em 1969, deixando no país uma carreira de economista e abraçando, por um presente fortuito de sua esposa, a fotografia. Ainda que tenha começado tarde, como ele afirma sempre, hoje tem todos os prêmios e reconhecimentos possíveis da área.

Ganhou o Eugene Smith, premiação de fotografia humanitária, em 1982, recebeu a Legião de Honra da França e a condecoração Príncipe de Astúrias das Artes, da Espanha, além de ter na sua galeria um World Press Photo (1985) e um Hasselblad (1989).

Natural de Aimorés, pequena cidade de 25 mil habitantes em Minas Gerais, a 484 km de Belo Horizonte, Salgado deu mais pistas sobre seu projeto amazônico em entrevista à revista espanhola Verne: segundo o fotógrafo, o que mais lhe surpreendeu durante as viagens ao Norte do Brasil foi perceber que a floresta também é muito montanhosa. "Você tem a impressão que está nos alpes. Eles são colossais. Qualquer foto da cadeia de montanhas vai surpreender", comentou.

O livro, ainda sem data de lançamento, será na verdade uma coleção de 30 foto reportagens sobre 13 tribos amazônicas, como os korubos, que só entraram em contato com o homem branco há quatro anos. "Eu pensava que ficaria meses em processo de adaptação a eles [índios], mas foi um processo de horas. Porque somos os mesmos. Só há uma pequena diferença física, os pés. Eles são uma deformação, estão doentes porque os colocamos em sapatos que deformam sua forma. Os pés dos seres dessas comunidades são triangulares, a parte de trás é fina e a da frente é larga", disse.

E quando questionado sobre o uso em massa de fotografias por causa das câmeras embutidas em celulares e smartphones, Salgado é enfático: não se trata de foto, mas de uma "linguagem de comunicação". "A fotografia é algo que se toca, se guarda. Agora estão mudando as demandas. Com um celular se faz imagens com uma qualidade incrível, mas não é fotografia", afirmou.

"Pelo meu tipo de fotografia, sou como aqueles homens que, na Idade Média, movidos pela curiosidade, iam de cidade em cidade para conhecer as coisas e transmití-las. A vida dos fotógrafos é assim: descobrir, conhecer e transmitir. A fotografia que eu faço é o espelho da sociedade. É uma função que não existia há 100 e não acho que vai existir mais dentro de 20", completou.

11 COMENTÁRIOS:

A melhor câmera é aquela que você tem em mãos. Se vc tem uma analógica, profissional ou celular não importa! O diferencial é o olhar!
enviado por: Carlos Fanchini em 24/08/2019 às 19:43:46
3
 
3
responder
Creio que deveria ter ficado quieto no infeliz comentário. Meu celular tem todas as funções da minha canon semi profissional. Modo profissional no celular se regula tudo que se pode regular de uma maquina profissional. A verdade é que Sebastião Salgado trata as fotos no pc enquanto quem faz fotos no celular tratam as fotos nos apps. Trago todas as emoções que twnho quando fotografo na máquina. Foi infeliz. Basta olhar meu insta @marcelomelofotografiarp.
enviado por: Marcelo em 22/08/2019 às 22:06:30
2
 
7
responder
Desculpe. Dve ser uma cânon muito fraquinhamas mesmo assim não acredito.
enviado por: Jorge em 01/09/2019 às 14:12:49
2
 
0
responder
Aiaiai..... quis um momentinho de fama com seu instagram? Cara o fato das configurações serem abertas no celular não significa que sua canon "semi" profissional... não sei qual a sua camera, mas convido você a fotografar com uma top de linha para sentir a diferença, esse papo também que equipamento não importa é pura balela... importa SIM! Valeu Irmão vou seguir seu insta para lhe dar uma força!
enviado por: Lucas em 24/08/2019 às 20:20:05
2
 
0
responder
Acho que tu nao entendeu o que ele falou
enviado por: eduardo em 24/08/2019 às 04:09:58
1
 
1
responder
Concordo plenamente com o Sebastião Salgado. Uma coisa é fazer fotografias de forma compulsiva com o telemóvel. Outra coisa é fazer "fotografia" como forma de expressão e intervenção social. Fazer "fotografia" obriga a que o fotógrafo tenha total domínio sobre as variantes técnicas de uma boa fotografia, a exposição, a profundidade de campo, o enquadramento, etc, etc, etc, e muito importante, a emoção que uma boa fotografia consegue transmitir, quer ao autor, quer a quem a vê.Tudo isto só com uma máquina fotográfica na mão se consegue fazer, seja a máquina fotográfica de baixa gama ou de alta gama. Além disso, uma fotografia só o é plenamente depois de impressa e, até agora, ainda não consegui ver uma fotografia feita com um telemóvel com uma impressão de qualidade.
enviado por: Joaquim Canelas em 21/08/2019 às 11:44:26
6
 
0
responder
Você pode captar muito bem através de um celular , emoções, expressões de dor , revolta, alegria, esforço físico. O que faz a foto passar a realidade é o olhar de que está clicando. Existe por vezes exagero no uso de filtros.
enviado por: em 20/08/2019 às 11:31:56
3
 
2
responder
Na concordo com Sebastião Salgado sobre a foto com celular. Existe uma câmera embutida e poderá ter qualidade e também ser impressa em papel. A questão central esta na capacidade tecnica do olhar e composição dos elementos .
enviado por: Antonieta de Sant’ Ana em 20/08/2019 às 00:02:25
1
 
2
responder
Sou fã de carteirinha do SS, mas tenho que descordar da sua afirmação. Tem gente fazendo fotos incríveis com celulares, com muita elaboração, trabalho e resultado. A foto é muito mais o olhar de quem a faz do que o equipamento que usa.
enviado por: João letizio em 19/08/2019 às 12:16:02
7
 
2
responder
é a mesma lógica de ler um livro ou um ebook... a fotografia digital e o ebook não tem o tato e cheiro, perdem alguns sentidos assim, mas ganham em praticidade e principalmente, sustentabilidade ;)
enviado por: rauber rodrigues em 19/08/2019 às 07:03:39
2
 
2
responder
Boa noite...tenho maior admiração pelo fotógrafo Sebastião Salgado, mas dizer que uma imagem captada por um celular não é fotografia acredito ser preconceito...por vezes é bom rever conceitos...obrigada.
enviado por: Dariane em 18/08/2019 às 20:43:18
7
 
3
responder

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix