Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 02 de Dezembro de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Domingo, 22 de Novembro de 2020, 11h:58
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Os lançamentos do centenário de Clarice Lispector

Por Luisa Pereira

Da coluna Cultura
Artigo de responsabilidade do autor

Autora de romances, contos e ensaios, ela é considerada um dos grandes nomes da literatura brasileira

Maureen Bisilliat/Acervo IMS

ColunaCultura

“Eu não escrevo para agradar ninguém”, repetiu Clarice Lispector diversas vezes quando questionada sobre o sentido de suas obras, pouco entendidas à época. Chaya Pinkhasovna Lispector, ou, simplesmente, Clarice Lispector (1920-1977), foi a grande escritora brasileira da segunda metade do século XX. Um desafio à crítica, enigmática e com um estilo particular entre a poesia e a prosa, a memória da autora segue viva entre os amantes de literatura.


Em comemoração ao centenário de seu nascimento, comemorado em dezembro, 2020 foi marcado por uma onda de reedições das obras já consagradas de Clarice. A editora Rocco, detentora dos direitos de publicação dos livros começou, ainda em 2019, a lançar no mercado a obra completa em 18 edições. Os primeiros disponibilizados foram Perto do Coração Selvagem (1943), O Lustre (1946) e A Cidade Sitiada (1949).


As capas inéditas explicitam uma faceta ainda pouco explorada de Clarice: o apreço pelas artes visuais. Todas as imagens foram pintadas por ela, que produziu 22 telas em meados dos anos 1970. As novas edições também contam com textos nunca divulgados anteriormente, e cada obra terá um posfácio de um pesquisador da obra da autora, como Teresa Montero em Água Viva.


“Dependemos dos posfácios de cada um dos convidados. Conforme recebemos os textos, preparamos e organizamos as novas edições”, afirma o editor Pedro Vasquez, em esclarecimento ao fato de não existir uma ordem delimitada para os lançamentos. Apesar disso, A Hora da Estrela, último romance publicado em vida pela autora, foi o escolhido para encerrar a homenagem. O livro chegará às livrarias com posfácio de Paulo Gurgel Valente, filho de Clarice.


“É a primeira vez que Paulo escreve sobre a mãe. Vai encerrar nossa coleção com chave de ouro”, conta Vasquez.

Eventos comemorativos
Clarice não foi apenas um dos expoentes da literatura nacional. A autora também foi destaque mundial e é lembrada até os dias atuais, um mês antes de seu centenário. Por conta disso, a faculdade de letras da USP (Universidade de São Paulo) realizou o “Colóquio Internacional Cem Anos de Clarice Lispector”, evento online que celebrou o centenário de Clarice. Os vídeos gravados estão disponíveis no canal do YouTube da instituição. “Queríamos dar espaço para as diferenças e para os modos de olhar a obra da Clarice, que é sempre muito instigante e múltipla. O evento foi um grande painel que vai agregar essas várias leituras, permitindo que se possa compreender a complexidade de sua obra”, afirma Yudith Rosenbaum, uma das organizadoras.

 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix