Campo Grande/MS, Sexta-Feira, 22 de Novembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Esporte
Segunda-Feira, 19 de Agosto de 2019, 13h:10
Tamanho do texto A - A+

Morenão um dos maiores da América Latina e o palco de grandes histórias

Estádio vai reviver antes de completar meio século

Elaine Silva
Capital News

Para comemorar os 120 anos de Campo Grande, também conhecida como Cidade Morena, o Capital News, está lançando do dia 19 de agosto até o dia 26 (aniversário da Capital) uma série de reportagens especiais, para destacar os grandes marco da história da cidade.

Nesta segunda-feira (19) você leitor vai reviver ou conhecer a história do Morenão.O Estádio Pedro Pedrossian, conhecido como Morenão, é uma das maiores praças esportivas universitárias do Brasil e da América Latina. Ele foi inaugurado em 7 de março de 1971, com o jogo do Flamengo e Corinthians,vencido pelo Flamengo por 3x1. O primeiro gol foi marcado por Buião, do rubro negro. a participação de pelo menos 40 mil pessoas, além de seu construtor o ex-governador Pedro Pedrossian.

Anderson Ramos / Arquivo Capital News

Operário Morenão (Raul).jpg

Jogo entre Operário e Comercial é o maior clássico do nosso futebol estadual, o popular Comerário

Atualmente o centro esportivo está interditado por problemas estruturais, com promessa de estar revitalizado em tempo hábil para sediar os jogos do Campeonato Sul-Mato-Grossense de 2020, além da utilização para outras atividades, esta é a ideia do Governo Estadual e da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e conta com o ava do Ministério Público Estadual. A restauração do estádio consistirá na recuperação hidráulica e elétrica, além de garantir maior acessibilidade e segurança. Está previsto também a instalação de um novo placar eletrônico. Após essa reforma de emergência em uma segunda etapa, será transformada em uma arena para sediar jogos nacionais e internacionais e outros eventos.

Com parecer da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), o Estado formalizou proposta junto ao Ministério Público Estadual (MPE/MS) para investir recursos próprios na restauração da tradicional praça de esportes, utilizando recursos do Fundo Estadual de Defesa do Consumidor, vinculado ao Procon (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de MS). A obra emergencial, estimada em R$ 4 milhões, será licitada e executada pela Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), cabendo à UFMS a realização do projeto técnico, elaborado por engenheiros da universidade, com previsão de conclusão em 60 dias.

Saul Schramm/Portal MS

Revitalização do Morenão avança

Secretário Carlos Alberto Assis e demais autoridades trabalhando para revitalizar o estádio Morenão para 2020

Marco na história do Estado  o estádio é um dos mais arrojados arquitetonicamente e estimulou o surgimento do futebol profissional no Sul de Mato Grosso, colocando clubes como Operário e Comercial nas principais competições nacionais. Com a divisão do Estado o calendário do futebol brasileiro mudou e acalmou a rivalidade em campo entre Campo Grande e Cuiabá.

O Morenão foi projetado em um momento que havia um descrédito quanto a finalidade do novo estádio em uma região deserta, que se expandiu. Mas a história do futebol local mudou a partir da Taça da Independência (uma Mini-Copa) realizada pelo Brasil em 1972. Com a construção do estádio, Campo Grande sediou um dos grupos da competição internacional, que celebrou os 150 anos da Independência do Brasil, alcançando um dos maiores públicos e rendas da primeira fase.

Desfilaram pelo Morenão as seleções da Iugoslávia, Paraguai, Bolívia e Venezuela, entre os dias 11 a 18 de junho daquele ano. O profissionalismo nasceria logo depois, com o Comercial estreando no Campeonato Nacional em 1973 ao ganhar a vaga numa disputa com o Operário.

Arquivo / Roberto Higa

Inauguração Estádio Morenão 1973

Inauguração do estádio Pedro Pedrossian em 1971, no jogoa entre Flamengo e Corinthians

OVINI
No dia  6 de março de 1982, durante o jogo do  Operário x Vasco da Gama, com 24 mil torcedores, os presentes relataram terem visto um OVNI sobrevoando o estádio e este fato se tornou uma grande história para a Capital, além de um dos maiores avistamentos coletivos do fenômeno no mundo. 

 

1 COMENTÁRIO:

Na verdade, o OVNI não "sobrevoou" o estádio. Ele, com o formato de um charuto, com luzesse azuis no centro e cor-de-rosa "por fora", passou por trás do antigo placar eletrônico e dos 30 mil torcedores no estádio, devido à sua velocidade, com certeza poucas pessoas viram, no entanto, no dia seguinte, quando a Base Aérea de Campo Grande, se manifestou afirmando que poderia ser um OVNI, a partir de então, "todo mundo viu" e por isso, cada qual conta uma "estória". Eu vi!
enviado por: Gilson Giordano em 19/08/2019 às 22:21:52
0
 
0
responder

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix