Campo Grande/MS, Quinta-Feira, 18 de Agosto de 2022 |
27˚
(67) 3042-4141
Internacional
Sexta-Feira, 03 de Junho de 2022, 11h:33
Tamanho do texto A - A+

Guerra chega ao cem dias com 20% da Ucrânia tomada e crise de refugiados

A guerra é responsável por uma das maiores crises de refugiados na Europa

Iury de Oliveira
Capital News

Reprodução/Agência Senado

Presidente do Congresso pede diálogo amplo entre Rússia e Ucrânia

Primeira imagem de um comboio russo invadindo a Ucrânia

Ukrainian Presidential Press Ser

Zelensky apela ao povo russo que combata a guerra

Wolodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia

Há cem dias, em 24 de fevereiro, tropas russas iniciaram a invasão da Ucrânia e o bombardeio de áreas militares do país. Hoje, de acordo com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, 20% do território ucraniano é ocupado por russos. 

 

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov disse hoje a jornalistas que alguns objetivos foram alcançados e afirmou também que a Rússia não planeja pôr fim à guerra até que todos os objetivos sejam conquistados.

Divulgação - Arquivo/Президент России

Presidente russo acusa Ucrânia de planejar genocídio

Vladimir Putin, presidente russo

 

Para o secretário-geral adjunto e coordenador de crises da Organização das Nações Unidas (ONU), Amin Awad, a guerra não terá um vencedor. Segundo ele ao menos 15,7 milhões de pessoas na Ucrânia agora precisam urgentemente de assistência e proteção.

 

A ONU confirmou 4 mil mortes de civis desde o início do conflito. A guerra é responsável por uma das maiores crises de refugiados na Europa desde a Segunda Guerra, com mais de 14 milhões de pessoas deslocadas. 

 

Após o início da ofensiva russa, várias sanções econômicas foram impostas ao país russo, e alguns países como os Estados Unidos chegaram a mandar armas, mas nenhum país e nem a Otan mandou soldados para lutar ao lado dos ucranianos. 

 

Representantes de Ucrânia e Rússia chegaram a negociar um cessar-fogo mas os países não chegaram a um acordo.

Serviço Estadual de Guarda de Fronteiras da Ucrânia

Ucrânia rejeita ultimato russo e Mariupol não se rende

Governo da Ucrânia alega que dezenas de milhares foram mortos em Mariupol

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix