Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 08 de Julho de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quinta-Feira, 10 de Agosto de 2017, 16h:06
Tamanho do texto A - A+

Em audiência, Prefeitura firma acordo para pagar Omep e Seleta

Após a polêmica envolvendo as entidades, acordo é firmado na justiça

Flavia Andrade
Capital News

Divulgação/Assessoria

Em audiência, Prefeitura firma acordo para pagar Omep e Seleta

Após a polêmica envolvendo as entidades, acordo é firmado na justiça

O acordo foi formalizado pelo juiz Renato Miazato, em audiência na 7º Vara da Justiça do trabalho, onde a Prefeitura de Campo Grande entrou em acordo com os funcionários da Omep/Seleta. 

Para o prefeito Marquinhos Trad, “Nossa administração não vai dar calote em ninguém e vamos pagar todas as nossas contas. Esta negociação foi dentro das possibilidades da arrecadação da prefeitura. Se esta situação fosse nos meses de janeiro, fevereiro e março, nos quitaríamos à vista, mas tivemos a necessidade de parcelar. Todavia, todos eles vão receber com juros e multas seus direitos”, pontua o prefeito Marquinhos Trad.



De acordo com o secretário Municipal de Planejamento e Finanças, Pedro Pedrossian Neto, “Ficou determinado pelo juiz Miazato que nós fizéssemos o pagamento dos salários integralmente dos servidores da Omep/Seleta até sexta-feira, e o restante da rescisão em pagamento parcelado em R$ 2 milhões por mês, até janeiro, quando será pago o restante, que dá um total des R$ 25 milhões”, enfatiza.

A priorização do pagamento de trabalhadores que recebiam até R$ 5 mil foi definida pelo juiz, durante audiência. Segundoa  prefeitura, até sexta-feira será pago os salários dos 2.500 servidores, sendo R$ 1,2 Milhões para Omep e R$ 1,4 milhões para os funcionários da Seleta.

Segundo o Juiz da 7º Vara do Trabalho, Renato Miazato, “Tudo que foi acordado hoje, vai ser cumprido. Esta decisão é favorável a todos os trabalhadores. É melhor eles terem o que receber todo mês, do que o processo seguir para outras instâncias e demorar muito mais”, pontuou.

Representando os funcionários das entidades, a funcionária Daiana Jarcem pontuo que, “Se nós fôssemos esperar uma ação judicial, até que saísse a ação demoraria muito tempo. Entramos num acordo com a prefeitura para receber a verba rescisória em parcelas. O prefeito Marquinhos Trad se prontificou a resolver nosso problema. Em nenhum momento o prefeito falou que não iria pagar. Só não tinha dinheiro em caixa para nos pagar integralmente. Tudo deu certo e estamos satisfeitos com a atenção do prefeito e a decisão judicial”, conclui.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix