Campo Grande/MS, Sábado, 27 de Maio de 2017 | 15:24
27˚
(67) 3042-4141
Política
Sexta-Feira, 19 de Maio de 2017, 18h:22
Tamanho do texto A - A+

Citado em delação, Reinaldo Azambuja diz que dinheiro recebido foi repassado pelo PSDB em campanha

Segundo dono da JBS, Azambuja teria recebido propina de R$10 milhões, na sede do Governo, no Parque dos Poderes

Cristiano Arruda
Capital News

Deurico/Arquivo Capital News

Citado em delação, Reinaldo Azambuja diz que dinheiro recebido foi repassado pelo PSDB em campanha

Azambuja garante que a escolha de Rocha para a presidência da Cãmara não partiu do Governo

No depoimento realizado à Procuradoria-Geral da República (PGR), no dia 4 de maio de 2017, o empresário Wesley Batista, dono da JBS, revelou que a corrupção em Mato Grosso do Sul não acontece há pouco tempo, mas sim há mais de 15 anos.

Em vídeo do depoimento, que faz parte do acordo de delação premiada dos irmãos Batista, disponibilizados pelo Supremo Tribunal Federal (STF), Wesley afirma que a propina, destinada aos últimos três governadores do estado, ultrapassa na cifra de R$100 milhões.


O atual Governador do Estado de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja também foi citado na delação pelo empresário, segundo ele, a empresa Buriti Comércio, do segmento de carne, teria recebido R$ 12,9 milhões.

Azambuja, segundo o empresário, teria recebido propina de R$10 milhões, na sede do Governo, no Parque dos Poderes.

Diversas empresas também foram beneficiadas no esquema. Segundo o delator, R$9,5 milhões foram entregues à Proteco Construções, empresa de João Amorim; R$2,8 milhões à Ibope Pesquisa; R$2,9 milhões à Gráfica Alvorada; R$1,2 milhão ao Instituto Ícone. A MV Produções Cinematográficas, Amapil Táxi Aéreo e Bars Propaganda também foram citadas.

Confira na íntegra a nota do Governador Reinaldo Azambuja:

“Compromisso com a verdade Tendo em vista a delação do empresário Wesley Batista em que meu nome é citado, e em respeito ao povo de Mato Grosso do Sul, faço os seguintes esclarecimentos:
O empresário Wesley Batista apresentou em sua delação premiada suposições de fraude envolvendo cinco termos de acordo de incentivos fiscais com o Estado de Mato Grosso do Sul, dos quais apenas um foi assinado em minha gestão;

 

Esclareço que referido termo assinado em minha gestão teve como objeto investimentos para ampliação e geração de novos empregos em diversas unidades frigoríficas em Mato Grosso do Sul, conforme legalmente estabelecido pela política de incentivos estadual;


Em relação à declaração de que recebi aproximadamente R$ 10.000.000,00 (dez milhões de reais) dos empresários, informo que o valor exato é de R$ 10.500.000,00, (dez milhões e quinhentos mil reais) repassados pelo PSDB nacional e que constam regularmente declarados na prestação de contas eleitoral de minha candidatura em 2014;

 

Ressalto que a transparência na gestão pública é meu compromisso com o povo sul-mato-grossense, comprovado pela ultima avaliação da CGU que colocou Mato Grosso do Sul com nota 10 em transparência, sendo o Estado que mais evoluiu nesse quesito em todo o país; Apoio integralmente às investigações, e me coloco à disposição para apresentação de todo e qualquer documento ou esclarecimento que contribua com a elucidação total dos fatos;


Por fim reforço que qualquer outra alegação de fatos ilícitos envolvendo meu nome e a empresa JBS não condiz com a verdade, e será devidamente comprovado.


Campo Grande – MS, 19 de Maio de 2017.
Reinaldo Azambuja Silva
Governador do Estado de Mato Grosso do Sul.”

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix