Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 12 de Dezembro de 2018 |
27˚
(67) 3042-4141
Reportagem Especial
Terça-Feira, 02 de Outubro de 2018, 13h:35
Tamanho do texto A - A+

Burger King: “Quando alguém escolhe no seu lugar, não dá pra reclamar do resultado”

Uma campanha do Burger King está viralizando nas redes sociais e questiona o eleitor sobre anular ou votar em branco

Flávio Veras
Capital News

Reprodução/Youtube

“Voto branco é deixar pessoas decidirem por você”, questiona propaganda

 No vídeo as pessoas que declaram voto branco recebem sandíche com pão, cebola e maionese escolhido por outra pessoa

Você pensa em anular ou votar em branco? Saiba que ao tomar essa decisão você está literalmente deixando que outras pessoas decidam os rumos do país e, consequentemente da sua vida, por você. Pensando nisso, o Burger King lançou em uma campanha na televisão e nas redes sociais em que questiona esse tipo de medida do eleitor.

 

No vídeo intitulado “Whopper em Branco”, as pessoas nas ruas que declaram voto em branco ou nulo recebem um sanduíche com apenas pão, cebola e maionese. Na sua sua embalagem está escrita a seguinte frase: “Este é Whopper em branco, sanduíche com ingredientes escolhidos por outra pessoa e quando alguém escolhe no seu lugar não dá para reclamar do resultado”, diz a peça publicitária.

 

A reação das pessoas é de choque, no primeiro momento e, posteriormente, refletem sobre a escolha de se absterem no pleito eleitoral. Pesquisas apontam que vem caindo o numero de brasileiros que declaram voto branco ou nulo. Porém, o percentual ainda continua elevado, pois ainda existem as abstenções, quando as pessoas não vão votar.

 

O último levantamento do Ibope, divulgado ontem (1º), 12% dos eleitores declaram vão tomar as duas medidas nas urnas. De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em 2014, 19,4% do eleitorado brasileiro não compareceu às urnas - 27,7 milhões dos 142,8 milhões de eleitores no país. No pleito de 1998, o percentual foi de 21,5%.

 

A proporção de votos brancos também foi elevada no ano - 3,8%, ou 4,4 milhões dos 115,1 milhões de votos registrados. Em 2010, o índice foi de 3,1%, e em 2006, de 2,7%. O índice deste ano também é o mais alto desde 1998, quando o percentual chegou a 8%.

 

Quanto aos nulos, 5,8% dos eleitores que compareceram às urnas em 2014 anularam seus votos para presidente. O nível mais alto registrado anteriormente foi em 2002, de 7,4%.

 

Voto em branco

De acordo com o Glossário Eleitoral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o voto em branco é aquele em que o eleitor não manifesta preferência por nenhum dos candidatos. Antes do aparecimento da urna eletrônica, para votar em branco bastava não assinalar a cédula de votação, deixando-a em branco. Hoje em dia, para votar em branco é necessário que o eleitor pressione a tecla “branco” na urna e, em seguida, a tecla “confirma”.

 

Voto nulo

Conforme o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é considerado como voto nulo aquele em que o eleitor manifesta sua vontade de anular o voto. Para votar nulo, o eleitor precisa digitar um número de candidato inexistente, como por exemplo, “00”, e depois a tecla “confirma”.

 

Antigamente como o voto branco era considerado válido (isto é, era contabilizado e dado para o candidato vencedor), ele era tido como um voto de conformismo, na qual o eleitor se mostrava satisfeito com o candidato que vencesse as eleições, enquanto que o voto nulo (considerado inválido pela Justiça Eleitoral) era tido como um voto de protesto contra os candidatos ou contra a classe política em geral.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix